Projeto visa a valorização da fileira da floresta da região centro

O Politécnico de Viseu e a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões integram o consórcio do projeto F4F–Forest For Future, na atividade direcionada à valorização económica da pinha e do pinhão.

Arrancou o projeto regional que visa a valorização da fileira florestal da região centro, sob a designação F4F – Forest For Future tem por objetivo basilar a demonstração e a transferência de tecnologias e soluções que permitam melhorar o valor acrescentado no setor florestal da região Centro, com particular enfase na cadeia do pinho. Abrange as várias fases da cadeia, desde as plantas até aos produtos finais, baseando-se em quatro pilares fundamentais: “Plantas e Viveiros”, “Gestão Florestal”, “Indústria” e “Floresta multiusos”.

O consórcio deste projeto, cujo promotor líder é o SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta, na Sertã, é composto por entidades de investigação científica e desenvolvimento tecnológico (universidades, politécnicos, laboratórios do estado e unidades de investigação) em cooperação com agentes de interface (associações, centros tecnológicos, autoridades públicas, empresas e representantes da sociedade).

Deste projeto resultarão contributos bastantes significativos no âmbito das Soluções Industriais Sustentáveis e Valorização de Recursos Endógenos Naturais, assim como benefícios relevantes no âmbito da Inovação Territorial, fortemente relacionados com a problemática dos territórios de baixa densidade, onde os espaços florestais têm uma predominância significativa. O F4F – Forest For Future ajudará a mitigar lacunas no âmbito da gestão florestal e floresta multifuncional, assumindo-se como um agente decisivo que agregará e articulará os objetivos de todos os parceiros envolvidos.

Com financiamento de 3,5 milhões de euros no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro (CENTRO 2020), até julho de 2023 o projeto prevê a execução de 23 atividades que propõem a realização de ações de divulgação que visam a seleção e multiplicação de plantas, avaliação e melhoria da qualidade, produção em massa, mapeamento e avaliação dos serviços de ecossistema florestais, avaliação do potencial produtivo dos espaços florestais, controlo de plantas invasoras, qualificação, certificação e promoção de produtos, valorização de espécies autóctones, produtos endógenos e a valorização de material vegetal para Farmacêutica/Cosmética. De entre as 23 tarefas do F4F – Forest For Future estão também contempladas ações de valorização das fileiras do medronheiro, da pinha, do pinhão e da resina da Região Centro.

F4F – Forest For Future

Promotor Líder:

SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta (Sertã)

Co-Promotores:

AIMMP – Associação das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Portugal

ADICES – Associação de Desenvolvimento Local

Associação de Viveiristas de Coimbra

BLC3 – Campus de Tecnologia e Inovação

Centro Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova

CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agro-Alimentar

CIMVDL – Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões

Federação de Associações Florestais – Fórum Florestal

FORESTIS – Associação Florestal de Portugal

Instituto Politécnico de Castelo Branco

Instituto Politécnico de Coimbra – Escola Superior Agrária de Coimbra

Instituto Politécnico de Leiria

Instituto Politécnico de Viseu

LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil

Pinhal Maior – Associação Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul

Universidade de Aveiro

Universidade da Beira Interior

Universidade de Coimbra

VOUZELAR – Associação de Promoção de Vouzela